25 Out 2019

Anda de trotinete ou de bicicleta em Lisboa? Este artigo é para si!

As grandes cidades estão repletas de trotinetes e de bicicletas. O trânsito assim o obriga. Se temos uma circulação mais rápida temos também um maior risco de acidentes e problemas diversos. Neste artigo vamos alertar para alguns perigos e para formas de se proteger dos mesmos.

A moda traz consigo perigos acrescidos

No passado era raro vermos pessoas a andar de bicicletas nas cidades e trotinetes nem as víamos. No entanto, com as novas empresas que surgiram estes meios de transporte tornaram-se uma moda e às vezes uma “praga”. Tendo como positivo uma maior flexibilidade e conforto no transporte, temos também perigos acrescidos. Quanto maior for o número de pessoas a andar nestes meios de transporte, maior o perigo de ter acidentes, motivados por outros condutores ou mesmo por outros acasos.

Ter cuidado não significa ausência de acidentes

Existem condutores mais cautelosos do que outros. Uns guiam devagar e com atenção. Outros guiam de forma mais irresponsável. O certo é que mesmo que tenha muito cuidado isso não significa que não seja provável ter um acidente. E é aqui que as consequências podem ser menores ou maiores. Tenha em mente, contudo, que todos os dias existem acidentes e alguns com bastante gravidade.

Sabe o que fazer se acontece alguma coisa de grave?

Este é o grande problema. Existem acidentes bastante graves, que podem levá-lo a uma visita ou mesmo a uma estadia num hospital. Acontece que o atual estado das urgências e dos hospitais públicos podem levá-lo a querer um tratamento algo diferenciado, só possível num hospital privado. O problema é que a medicina privada tem custos que terão de ser suportados pelas pessoas, pelos seguros de saúde ou por seguros de acidentes pessoais.

Por que não fazer um seguro de acidentes pessoais?

Se valoriza andar de bicicleta ou de trotinete, mas se quer estar protegido de eventualidades, poderá fazer um seguro de acidentes pessoais. Este seguro tem diversas coberturas e garante uma indemnização em caso de morte ou de invalidez, reembolso de despesas médicas, subsídio diário de hospitalização, fraturas de ossos ou mesmo outras coberturas opcionais.

Pense sempre que por um custo muito reduzido poderá estar protegido de alguma eventualidade. Logo, se tiver um acidente terá as condições financeiras para ter os tratamentos que merece. Se existir uma fatalidade, poderá ainda garantir que a sua família tem um capital de indemnização que será certamente essencial para suprir a queda do rendimento mensal.