poupar dinheiro
07 Jul 2020

As 9 melhores dicas para poupar dinheiro em fase de contenção

Não sabemos exatamente quanto vai decair o PIB do nosso país, mas sabemos que a queda nacional, europeia e global será grande e que, como sempre, o melhor remédio é prevenir e conter gastos supérfluos. Muitas famílias perderam rendimentos, e outras tantas podem ainda ser afetadas. O que importa não é focarmo-nos no problema e sim na solução. As alterações climáticas exigem-nos também um tempo de menor consumo, como podemos ver pelos benefícios no planeta com apenas dois meses de paragem. As crises servem por vezes para reaprendermos a viver de modo diferente e reequacionarmos hábitos de consumo ultrapassados. Relembre boas dicas para poupar dinheiro: pegue na calculadora e na agenda ou na folha de excel e…ação!

 

Aprenda a poupar energia: O teletrabalho e a telescola continuam a ser recomendados e, mesmo no próximo ano letivo, tudo indica que o regime será misto entre presencial e online. Quer isto dizer que é provável que nos esperem muito mais horas em casa, com consumos bem maiores que o costume. Há gestos tão simples como desligar eletrodomésticos, aproveitar o calor do formo, usar lâmpadas LED de baixo consumo ou contratar uma tarifa bi-horária, que lhe podem poupar muito dinheiro. Pode e deve aprender a poupar na eletricidade, gás, combustíveis, climatização da casa ou preparação de alimentos. Recorde todas estas dicas, dadas por especialistas, no nosso blog.

 

Aposte na economia local, de segunda mão e nos pequenos produtores: se preferir comprar a produtores locais independentes, artesãos, artistas ou alfarrabistas, por exemplo, estará a estimular um consumo saudável. Para ser responsável socialmente, já que ajuda pequenos negócios, e ser também ecológico, pode também comprar em segunda mão: há cada vez mais mercados destes com qualidade, nomeadamente em roupa, que em Portugal não era tão frequente há uns anos. Pode apostar também nos mercados de troca direta, fazer trocas com amigos e participar em ações solidárias. Pode poupar dinheiro quando tem de comprar algum presente, foge às lojas clássicas, ajuda a sua comunidade e quem mais precisa, e ainda se ajuda a si próprio, fugindo ao cansaço e às filas dos centros comerciais. Às vezes pensa em ir ao sítio X que dá grandes descontos…mas os 3 ou 4 euros que poupa não dão para a gasolina e o tempo que vai gastar. Porque não comprar na mercearia do seu bairro?

 

Compre online: o mundo digital ganhou um avanço notável com a pandemia e é uma tendência para ficar, impulsionada pelas gerações mais jovens que fazem cada vez mais compras online. Aqui está algo que o pode fazer poupar muito dinheiro, tempo e combustível. Os processos de trocas e devoluções estão cada vez mais facilitados, e tem a vantagem de poder comprar no mundo todo. Há descontos que compensam muito, como produtos de parafarmácia ou vestuário. Explore os sites ou agregadores que lhe dão mais vantagens e junte-se com amigos ou família para dividir os portes de envio.

 

Use os comparadores de preço: os muitos comparadores de preço disponíveis online podem ajudá-lo a poupar quando tiver a sua lista fechada. Em alguns pode até colocar o link do produto que escolheu. Pode seguir o da defesa do consumidor, Deco, o ComparAqui, ou o KuantoKusta, por exemplo.

 

Atenção a descontos, saldos e outlets (de tudo): quanto mais se antecipar, mais pode ganhar. Se nos saldos de verão puder já pensar no inverno, compra em contraciclo e consegue grandes descontos. Se tem cartões de grandes superfícies, analise bem os cupões de desconto (para comida, gasolina ou produtos de farmácia) e quais os que precisa realmente. Comprar por atacado produtos que perdem a validade é desperdício, mas é importante seguir os sites e as apps que publicam semanalmente os descontos dos produtos que sabe que gasta, e que são essenciais. Fazer listas e cumpri-las é outra regra fundamental, até para reduzir custos desnecessários. Compre em locais que têm bons descontos todo o ano, como as lojas outlet perto das grandes cidades; aproveite os leilões ou grandes descontos online de sites como o Ebay ou Alliexpress; outlets de roupa como o da Mango ou da Lanidor e outlets de eletrodomésticos como o da Bosch. Recorra a sites como o OLX ou Custo Justo, onde particulares anunciam as suas lojas de eletrodomésticos em 2ª mão (dão garantia e têm críticas). Se precisar de móveis lembre-se do mobiliário em 2ª mão ou vintage que algumas associações de solidariedade vendem (Emaús ou Reto à Esperança), dos mercados de velharias e dos particulares anunciam em sites e redes sociais. No campo da informática e eletrónica há outlets como os Cash Converters ou a Forall Phones, em que os produtos usados têm certificação técnica e garantia, e que podem valer muito a pena.

 

Seja o autor ou DIY: é a velha máxima do ‘do it yourself’ que, com a ajuda da tecnologia, hoje é cada vez mais fácil. Apresentações de fotografia ou vídeo, postais, cosméticos caseiros (há muitos tutoriais onde pode aprender a fazê-los), fotografia, bijuteria, costura, bolachas, compotas…cada um saberá aquilo para que tem mais apetência. Há muitas coisas úteis que podemos produzir para poupar alguns euros… e ainda nos divertimos.

 

Cultura e entretenimento gratuitos: apesar de vivermos uma época especial, que não aconselha ajuntamentos, os museus já reabriram, e os teatros e cinemas vão reabrir com lotações limitadas. Nesta fase pode aproveitar, online, concertos, peças de teatro, livros ou visitas virtuais de livre acesso. Mas vai continuar a haver muitos eventos gratuitos, ou a baixo preço, nomeadamente durante a semana, no dia do espectador (teatro); ou ao domingo, no caso dos museus. Há muitas agendas culturais úteis, nas redes sociais e ligadas às câmaras, por exemplo: consulte-as. Lembre-se das bibliotecas públicas, dos serviços de cinema gratuitos (como o Popcorn) ou até de dividir com alguém uma mensalidade dos serviços de streaming, tipo Netflix, HBO ou Filmin, de modo a poupar dinheiro. Lembre-se também do ar livre em geral e dos jardins e parques para se juntar com quem mais gosta.

 

Se usar cartão de crédito, escolha um com cashback: a solução cashback propõe que, se despender uma determinada quantia, pode receber de volta na conta uma percentagem simpática do valor que gastou. Portanto, se tiver de usar cartão de crédito, pense em escolher um que lhe dá vantagens. Há cartões que lhe permitem ainda poupar dinheiro através de descontos em lojas parceiras, postos de abastecimento de combustíveis, milhas aéreas, entre outras vantagens. Também neste domínio existe informação e comparadores online: use-os. Deve sempre lembrar-se que o cartão de crédito tem de ser usado com muita responsabilidade, e que o ideal é pagá-lo a 100% e não estar a pagar juros.

 

Renegoceie tudo: uma das coisas em que conseguimos poupar mais é na renegociação de despesas de que não podemos abdicar, mas podemos reduzir porque o mercado atual oferece uma escolha alargada. Reavalie os pacotes de telecomunicações, desista dos 200 canais de que não precisa ou mude de operadora, se for preciso. Olhe para as prestações obrigatórias que tem e perceba de que subscrições pode abdicar. Opte por serviços bancários sem custos de manutenção, já há muitas contas assim no mercado. Em termos de seguros, perceba quem lhe pode dar as melhores condições e que ajusta as mensalidades/prémios ao orçamento de cada consumidor. Muita gente não sabe ainda que pode, por exemplo, transferir o Seguro de Vida associado ao crédito habitação sem qualquer penalização. E mesmo que o banco lhe aumente ligeiramente o spread, pode compensar e ter ganhos de até 60% com a mudança, como no caso do VIDA CRÉDITO APRIL.

 

Fazer sempre uma boa pesquisa em fontes credíveis, seguir especialistas em poupança, ter paciência e manter disciplina e foco podem ser a base para conseguir poupar, repensar as suas finanças pessoais e aderir a um estilo de vida e consumo mais sustentável e também mais adequado aos tempos que vivemos.

 

Se optar por transferir o seu Seguro de Vida ou ter uma nova proteção neste momento de particular incerteza, com melhores coberturas e preço mais competitivo, por que não simular o seu caso concreto?

 

Como posso saber mais?

Através da nossa Área de Cliente APRIL Seguros, com equipas especializadas que prestam um serviço de atendimento e suporte personalizado. A linha APRIL 808 300 123 / 213 433 362 disponível todos os dias úteis, de 2ª a 6ª feira, das 9h às 13h e das 14h às 18h (custo de chamada local). Estamos inteiramente ao seu dispor.