ganhar dinheiro extra
10 Nov 2020

Como ganhar dinheiro extra sem sair de casa?

Nunca é tarde para começar e pensar nalgumas soluções práticas e ao alcance de muita gente. Hoje, mais do que poupar, falamos-lhe em ganhar dinheiro extra para fazer face a tempos de incerteza e para, idealmente, se pagar a si próprio, ou seja, poupar para ter mais qualidade de vida neste curto e médio prazo em que a crise financeira nos bate à porta.

Nesta fase enfrentamos uma pandemia, sendo por isso ideal ganhar dinheiro a partir de casa ou, pelo menos, evitando ajuntamentos. Trabalhar em casa ou até em espaços de cowork, e ser independente, é uma tendência presente e futura no mercado de trabalho que esta pandemia só veio acentuar: o teletrabalho é uma realidade que chegou para ficar.

Há já muitas empresas a delegar serviços, até para impedir as suas estruturas de serem demasiado pesadas, o que é uma vantagem evidente para quem precisa de ganhar um dinheiro extra e para freelancers.

Quem está nesta situação não sabe muitas vezes por onde começar. Mas se investigar, verá que há soluções mais ou menos intuitivas, que não levam muito tempo, e contribuem para o orçamento ao final do mês. Se juntarmos a estas tarefas gerais, as competências pessoais que cada pessoa pode pôr ao serviço do mercado, podemos ajudar a equilibrar o orçamento mensal.

Siga estas pistas para trabalhar a partir de casa (ou perto):

 

  • Ser pago por ‘clique’: há sites em que, por clicar na página e nos links dos anunciantes e patrocinadores, já está a ganhar dinheiro, como no Clique ou no Beruby. Clica-se num link sugerido, aguarda-se uns segundos, e por cada clique são creditados alguns pontos numa conta e que posteriormente serão trocados por dinheiro. A mesma coisa noutros sites, como o Publipt, um site em português, onde pode investir, e em que pode convidar os seus amigos e passar a ganhar uma percentagem sobre os lucros deles.

 

  • Fazer sondagens, inquéritos, pesquisas e estudos de mercado online: se tiver algum tempo livre esta é mais uma hipótese em cima da mesa: há empresas que procuram pessoas para fazer pesquisas online e responder a inquéritos sobre produtos e serviços. Estes trabalhos são remunerados em dinheiro ou em vales de desconto. Também as empresas de sondagens e estudos de mercados precisam muito de colaboradores para testar produtos e dar opiniões em todas as faixas etárias. Espreite sites como Marktest, NetOpiniões, SuaOpiniãoConta Toluna, Hiving, Sondar, Gobal Testmarket, PrizeRebel ou CashCrate, entre muitos outros.

 

  • Dar explicações/ensinar à distância: se é especializado nalguma área e sente vocação para ensinar, mesmo que seja algo que lhe pareça básico, equacione dar aulas particulares ou de grupo. O ensino à distância está a vulgarizar-se e há muitas plataformas online – como a Superprof, Udemy ou Verbling – onde pode colocar o seu valor e dar aulas apenas com um computador e uma ligação Skipe, Zoom ou Teams, por exemplo. Desde aulas de português a estrangeiros, outras línguas, explicações a crianças e jovens ou aulas de cozinha, tudo é possível. Este modelo acelerou com a pandemia e alunos/formandos de todas as idades estão já familiarizados com o procedimento. Nesta época da formação online, pode até rentabilizar o que sabe preparando aulas online para serem vistas por vários e ficarem gravadas. Pode arranjar formandos avulso ou até combinar com grupos que consiga reunir na sua área de residência.

 

  • Ensinar perto de casa: se tem formação e vontade para reunir um grupo à sua volta e orientar alguma atividade física ou intelectual, seja na sala de condomínio, no anexo da junta de freguesia, da associação de moradores ou no ginásio de alguma escola…porque não? Yoga, ginástica, dança, meditação, danças de salão, teatro amador, clubes de leitura, etc., são atividades com muita procura que pode integrar nalgum das suas horas livres. Nesta fase, os grupos terão de ser muito restritos e sempre cumprindo as regras de segurança. Mas acreditamos que dentro de alguns meses poderão crescer.

 

  • Passear cães/Tratador de cães e gatos: aquela hora a mais ao fim da tarde, ou até ao fim de semana e períodos de férias, pode render-lhe dinheiro, caso tenha experiência e empatia com animais. Uma boa ideia é espalhar anúncios nas caixas de correio do seu bairro, junta de freguesia, redes sociais e vizinhos, a oferecer-se para passear, tratar de animais ou levá-los ao veterinário. Há muitos donos que passam demasiadas horas no escritório, trânsito e a cuidar da família, e que precisam de apoio. E outros tantos que vão de fim de semana ou férias e não conseguem pagar serviços demasiado caros por dia para os tratar.

 

  • Hobbies que possa adaptar a algum negócio: se tiver jeito para trabalhos manuais, como por exemplo: bijuteria, olaria, roupa, comida, pintura ou fotografia, com qualidade razoável, porque não criar uma ‘página de autor’ nas redes sociais, um blogue ou até uma loja online, onde possa vender a sua produção. O desenvolvimento da internet trouxe a vantagem de poder fazer publicidade sem custos ou quase. Como a concorrência é bastante, para além da divulgação no seu núcleo próximo, tem de se esmerar na comunicação e marketing digital, alimentar sempre as suas redes com conteúdo interessante e criativo, e perceber se vale a pena investir em alguns anúncios online. É claro que pode sempre vender diretamente em plataformas temáticas das mais variadas áreas, como por exemplo o Etsy, para artesanato, o Shutterstock, no caso da fotografia, ou em sites generalistas como o OLX ou o Custo Justo.

 

  • Iniciar o seu blogue: se precisa de publicitar produtos ou serviços, pode pensar em criar um blogue (com softwares grátis como o WordPress) para ir publicando as coisas novas que tem, nunca esquecendo de partilhar nas redes sociais e de cuidar para ter mais seguidores. Para além do que faz, publique conteúdo sobre a área ou áreas adjacentes que seja potencialmente interessante para quem o segue: muitas vezes já não chega publicitar só o que vende. Se é uma coisa mais criativa, fale de outros criadores que o inspiram, aconselhe sites, exposições, etc. Se é uma coisa mais física, como aulas de yoga ou ginástica, fale também de nutrição, partilhe rotinas, inspirações ou faça links para artigos de outros especialistas. O marketing de conteúdos está em larga expansão. Poderá também dedicar-se a um ser autor de um blogue numa área que domine realmente e, a partir da sua qualidade/diferenciação e número de seguidores, tentar arranjar parcerias empresariais (tornar-se um ‘influenciador’) e vender espaço publicitário.

 

  • Apoiar crianças/idosos: se gosta de crianças e tem algum à vontade e experiência, pode propor-se como babysitter, mesmo que seja só ao fim de semana. É sempre mais fácil começar com alguém conhecido ena zona onde vive, mas também pode espalhar o serviço à volta da área onde reside. Ter um site ou página nas redes sociais pode ajudar, credibilizando-se e pedindo aos pais que lhe deixem uma referência, para ser contactado por outros pais que ainda não o conheçam. Como é um trabalho de grande responsabilidade, a recomendação pessoal é essencial para prosseguir. O mesmo acontece com idosos, cujas famílias estão longe, e que podem apenas precisar que lhes faça compras ou os ajude com serviços informáticos e outras burocracias.

 

  • Vender produtos de outros: se acha que tem veia comercial, há vários negócios para revender produtos de outros. Pode vender cosméticos, robots de cozinha, produtos de nutrição, utensílios para casa e cozinha tendo apenas um catálogo (ou vários para distribuir por amigos e conhecidos), um computador e um telefone à mão.

 

  • Fazer massagens/tratamentos: fez alguma formação na área das terapias alternativas, massagem ou estética? Essa pode ser uma boa hipótese, se tiver espaço para receber em casa, se arranjar uma sala próxima da si, ou até se o quiser fazer em ginásios, cabeleireiros, ao domicílio, etc. É mais uma atividade que nesta fase exige todas as regras de higiene e segurança, mas que tem procura.

 

  • Ser assistente de empresas: há diversas funções administrativas (mailing, inserção de dados, faturação, etc.) e de contacto com o exterior (tipo apoio ao cliente) que as empresas delegam a trabalhadores externos. Não precisa de estar no escritório. Bastará ter acesso a internet, computador e telefone. Pode conseguir trabalhar para mais do que uma, sem sair de casa, a depender das horas de que dispõe.

 

  • Testar sites, softwares e jogos: para desenvolver software com bons resultados as empresas precisam de testar antes de o lançar no mercado. Contratam quem o faça, desde que a experiência seja partilhada em resposta a um questionário. De igual modo agem as empresas que desenvolvem jogos virtuais. Veja sites como Swagbucks  ou  EarnHoney.

 

  • Escrever, corrigir e traduzir: produzir textos para sites, blogues, redes sociais, revistas, empresas, traduzir, criar conteúdo original, rever texto, transcrever entrevistas, produzir trabalho escolar/universitário ou digitar texto – tudo isto se compra e vende online. Há muitos sites nacionais e internacionais onde pode publicitar as suas competências nesta área. Dentro da área há trabalho mais e menos elaborado, consoante o nível de escrita e experiência. Jornalistas, copywriters, guionistas, professores, tradutores, estudantes da área das línguas e literaturas e mesmo pessoas fora da área têm várias hipóteses. Para estas áreas (e outras como design ou programação) é bom espreitar sites como Freelancer.pt, Zaask, 99Freelas, Indústria Criativa, LandingJobs, Fiverr, Workana, Blogging Jobs, UpWork, Guru, Comunica Freelancer, Text Broker, Freelancer.pt e centenas de outros. Se a escrita é a sua praia, espreite alguns deste sites, uns mais generalistas e outros especializados.

 

Como tudo em finanças pessoais, estes ganhos extra exigem tempo e consistência: não desista. Use o que ganhar para o essencial, mas lembre-se que a base de tudo é muitas vezes a sua segurança e da sua família. O segredo, nomeadamente em tempo de crise, é fugir de hábitos de consumo desnecessários e investir o dinheiro extra. Uma das formas de o fazer é subscrever seguros à medida da sua carteira, porque em caso de perder rendimentos fica protegido com quantias muito baixas por mês, a partir do preço de um lanche ou um almoço.

Saiba o que a APRIL pode fazer por si: temos seguros de vida que têm cobertura também em caso de pandemia e seguros de acidentes pessoais nos quais, em caso de hospitalização (por pandemia), é pago um subsídio de internamento. Toda a nossa oferta tem soluções e coberturas ajustadas ao rendimento de cada cliente, tendo ainda oferta total de serviços médicos, como o April Medical.

Esclareça qualquer dúvida aqui e contacte-nos para esclarecimentos adicionais.

Como posso saber mais?

Através da nossa Área de Cliente APRIL Seguros que tem equipas especializadas que prestam um serviço de atendimento e suporte personalizado.

A linha APRIL 808 300 123 / 213 433 362 disponível todos os dias úteis, de 2ª a 6ª feira, das 9h às 13h e das 14h às 18h (custo de chamada local). Estamos inteiramente ao seu dispor.

Ao enviar os seus dados concorda com a Política de Privacidade da April Portugal
Autorizo a recolha dos meus dados pessoais e que os mesmos sejam processados e armazenados informaticamente, bem como o contacto pela APRIL e/ou por um Parceiro APRIL.
Autorizo a utilização dos meus Dados Pessoais pela APRIL, para efeitos de comercialização de produtos e serviços e para fins de Marketing, incluindo, por exemplo, contacto por SMS, MMS e correio eletrónico